Guia de Carteiras de Criptomoedas

Compartilhar
Guia de Carteiras de Criptomoedas
Ouça este artigo
00:00 / 00:00

O que é uma carteira de criptomoedas?

Resumidamente, uma carteira de criptomoedas é uma ferramenta que você pode usar para interagir com uma rede blockchain. Os vários tipos de carteiras podem ser divididos em três grupos: software, hardware e carteiras de papel (paper wallets). Dependendo do mecanismo de funcionamento, elas também podem ser chamadas de carteiras “quentes” ou “frias” (hot/cold wallets).

A maioria das de carteiras criptomoedas são baseadas em softwares, o que torna seu uso mais conveniente do que as carteiras de hardware. Entretanto, as carteiras de hardware tendem a ser a alternativa mais segura. A chamada Paper wallet, por outro lado, consiste em uma "carteira" impressa em um pedaço de papel, mas seu uso agora é considerado obsoleto e não confiável.


Como as carteiras de criptomoedas funcionam?

Ao contrário da crença popular, as carteiras de criptomoedas não armazenam criptomoedas de fato. Em vez disso, eles fornecem as ferramentas necessárias para interagir com uma blockchain. Em outros termos, essas carteiras podem gerar as informações necessárias para enviar e receber criptomoedas via transações blockchain. Entre outras coisas, essas informações consistem em um ou mais pares de chaves públicas e privadas.

A carteira também inclui um endereço público, que é um identificador alfanumérico que é gerado com base nas chaves pública e privada. Tal endereço é, essencialmente, uma "localização" específica na blockchain para a qual as moedas podem ser enviadas. Isso significa que você pode compartilhar seu endereço público com outras pessoas para receber fundos, mas nunca deve divulgar sua chave privada a ninguém. 

A chave privada dá acesso às suas criptomoedas, independentemente de qual carteira você usa. Portanto, mesmo que seu computador ou smartphone seja comprometido, você ainda poderá acessar seus fundos em outro dispositivo, desde que tenha a chave privada correspondente (ou seed-phrase). Note que as moedas nunca saem realmente da blockchain, elas são apenas transferidas de um endereço para outro.


Hot wallet vs. cold wallet

Como mencionado, uma carteira de criptomoedas também pode ser definida como “quente” (hot) ou “fria” (cold), de acordo com a maneira que ela opera.

Uma hot wallet é uma carteira que está conectada de alguma forma à Internet. Por exemplo, quando você cria uma conta na Binance e envia fundos para a sua carteira, você está depositando em uma hot wallet da Binance. Estas carteiras são muito fáceis de configurar, e os fundos podem ser acessados de maneira rápida, tornando-as convenientes para traders e usuários mais frequentes.

A cold wallet, por outro lado, não tem conexão com a Internet. Em vez disso, eles usam um meio físico para armazenar as chaves offline, tornando-as resistentes a hackers e tentativas de invasão online. Assim sendo, as cold wallets tendem a ser uma alternativa muito mais segura de "armazenar" suas moedas. Esse método também é conhecido como armazenamento a frio (cold storage) e é particularmente adequado para investidores de longo prazo ou "HODLers".

Como forma de proteger os fundos dos usuários, a Binance possui apenas uma pequena porcentagem de moedas em suas hot wallets. O restante é mantido em armazenamento a frio, sem conexão com a Internet. Devemos mencionar também a Binance DEX, que é uma alternativa para usuários que preferem não manter seus fundos em uma exchange centralizada. É uma plataforma de trading descentralizada que permite que você tenha controle total de suas chaves privadas, enquanto permite que você faça trades diretamente dos dispositivos de armazenamento a frio (carteiras de hardware).


Carteiras de Software

Existem muitos tipos diferentes de carteiras de Software, cada uma com suas próprias características. A maioria delas está de alguma forma conectada à Internet (hot wallets). A seguir, descrições de alguns dos tipos mais comuns e importantes: carteiras da Web, de desktop (computador) e mobile (celular).


Carteiras da Web

Você pode usar carteiras da web para acessar blockchains através da interface de um navegador sem precisar fazer o download ou instalar nada. Isso inclui tanto carteiras de exchanges quanto carteiras de provedores feitas para uso em um navegador.

Na maioria dos casos, você pode criar uma nova carteira e definir uma senha pessoal para acessá-la. No entanto, alguns provedores de serviços mantêm e gerenciam as chaves privadas em seu nome. Embora isso possa ser mais conveniente para usuários inexperientes, é uma prática perigosa. Se você não detém suas chaves privadas, você está confiando seu dinheiro a outra pessoa. Para solucionar esse problema, muitas carteiras da web agora permitem que o usuário gerencie suas chaves, seja completamente ou por controle compartilhado (através de  múltiplas assinaturas). Por isso, é importante conhecer as especificações de cada carteira antes de escolher a mais adequada para você.

Ao usar exchange de criptomoedas, você deve considerar o uso das ferramentas de proteção disponíveis. A Binance Exchange oferece vários recursos de segurança, como gerenciamento de dispositivos, autenticação multi-fatorescódigo de anti-phishing, e gerenciamento de endereços de retirada.


Carteiras de Desktop

Uma carteira de desktop, é na realidade um software que você baixou e executou localmente em seu computador. Ao contrário de algumas versões baseadas na Web, as carteiras de desktop oferecem controle total sobre suas chaves e fundos. Quando você gera uma nova carteira de desktop, um arquivo chamado "wallet.dat" será armazenado localmente em seu computador. Este arquivo contém as informações de chave privada usadas para acessar seus endereços de criptomoedas, portanto você deve criptografá-lo com uma senha pessoal.

Se você criptografar sua carteira de desktop você deverá inserir sua senha todas as vezes que abrir o programa para que seu computador possa fazer a leitura do arquivo wallet.dat. Se você perder este arquivo ou esquecer sua senha, provavelmente perderá o acesso a seus fundos. 

Portanto, é crucial fazer o backup do seu arquivo wallet.dat e mantê-lo em local seguro. Como alternativa, você pode exportar a chave privada ou seed-phrase correspondente. Ao fazer isso, você poderá acessar seus fundos em outros dispositivos, caso seu computador pare de funcionar ou se torne inacessível por algum motivo.

Em geral, as carteiras de desktop podem ser consideradas mais seguras do que a maioria das versões da web, mas é essencial garantir que seu computador esteja livre de vírus e malwares antes de configurar e usar esse tipo de carteira.


Carteiras Mobile

As carteiras para celular (mobile wallets), funcionam de forma semelhante às carteiras de desktop, mas são desenvolvidas como aplicativos específicos para smartphones. São bastante convenientes, pois permitem enviar e receber criptomoedas através do uso de códigos QR. 

Sendo assim, as mobile wallets são particularmente adequadas para a realização de transações e pagamentos diários, tornando-as uma opção viável para usar Bitcoins, BNB e outras criptomoedas em compras e pagamentos em geral. A TrustWallet é um bom exemplo de carteira de criptomoedas que é usada para smartphones.

Assim como os computadores, no entanto, os celulares são vulneráveis a aplicativos mal-intencionados e a infecções por malware. Por isso, é recomendável criptografar sua mobile wallet com uma senha e fazer backup de suas chaves privadas (ou seed-phrases), caso seu smartphone quebre ou seja perdido.


Carteiras de Hardware

As carteiras de hardware (hardware wallets) são dispositivos físicos e eletrônicos que usam a geração de números aleatórios (RNG) para gerar as chaves pública e privada. As chaves são armazenadas no próprio dispositivo, que não se conecta com a Internet. Sendo assim, o armazenamento em carteiras de hardware constitui um tipo de cold wallet e é considerado uma das alternativas mais seguras.

Apesar de apresentarem níveis maiores de segurança contra ataques online, elas podem apresentar riscos se a implementação do firmware não for feita corretamente. Além disso, as carteiras de hardware tendem a ser menos fáceis e práticas de usar e o acesso aos fundos é mais difícil quando comparadas às hot wallets. 

Para suprir a falta de acessibilidade, você pode usar a Binance DEX para conectar seu dispositivo diretamente à plataforma de trading. Esta é uma maneira segura de acessar seus fundos porque as chaves privadas nunca saem do seu dispositivo. Alguns provedores de carteiras de web também oferecem um serviço semelhante, permitindo que carteiras de hardware sejam conectadas à interface do navegador.

Se você detém uma grande quantidade de criptomoedas ou se pretende mantê-las por um período mais longo, você deve considerar o uso da carteira de hardware. Atualmente, a maioria das carteiras de hardware permite que você configure um código PIN para proteger o seu dispositivo, bem como uma frase de recuperação - que pode ser usada caso sua carteira seja perdida.


Paper Wallets

A carteira de papel, conhecida como paper wallet, é um pedaço de papel no qual um endereço público e sua chave privada são fisicamente impressos na forma de códigos QR. Esses códigos podem ser escaneados para realizar transações de criptomoedas.

Alguns sites de paper wallet, permitem que você faça o download do código para gerar novos endereços e chaves enquanto estiver offline. Ou seja, essas carteiras são altamente resistentes a ataques de hackers online e podem ser consideradas uma alternativa ao armazenamento a frio.

Devido às inúmeras falhas, no entanto, o uso de paper wallets é agora considerado perigoso e não recomendado. Se ainda deseja utilizá-las, é essencial que você entenda os riscos. Uma grande falha das paper wallets é que elas não são adequadas para o envio parcial de fundos, mas apenas para todo o saldo de uma só vez.

Por exemplo, imagine que você gerou uma paper wallet e enviou várias transações para financiá-la, somando um total de 10 BTC. Se você decide usar 2 BTC, você deve primeiro enviar todas as 10 BTC para outro tipo de carteira (por exemplo, uma carteira de desktop) e só então poderá usar parte dos fundos (2 BTC). Posteriormente, você poderá devolver as 8 BTC a uma nova paper wallet, embora uma carteira de hardware ou software seja a melhor opção.

Tecnicamente, se você importar sua chave privada da paper wallet para uma carteira de desktop e gastar apenas parte dos fundos, as moedas restantes serão enviadas para um "endereço de troco" (change address) gerado automaticamente pelo protocolo Bitcoin. Se você não definir manualmente o change address para um endereço que você controle, você provavelmente perderá seus fundos.

Em casos assim, a maioria das carteiras de software hoje em dia lida com esse valor de “troco” para você, enviando as moedas restantes para um endereço da sua carteira. É importante lembrar que a sua wallet paper estará vazia depois de enviar sua primeira transação - independentemente do valor. Portanto, não espere reutilizá-la.


A importância dos backups

Perder o acesso às suas carteiras de criptomoedas pode custar muito caro. Por isso, é importante fazer backup delas regularmente. Em muitos casos, o backup é feito simplesmente salvando os arquivos wallet.dat ou seed-phrases. Essencialmente, as seed-phrases desempenham um papel muito semelhante às chaves privadas, mas geralmente são mais fáceis de gerenciar. Se você optou por criptografar a sua senha, lembre-se também de fazer o backup da senha.


Considerações finais

As carteiras de criptomoedas são fazem parte do uso de Bitcoin e outras criptomoedas. Elas são uma das peças fundamentais da infraestrutura que torna possível enviar e receber fundos através das redes blockchain. Cada tipo de carteira tem suas vantagens e desvantagens, então é fundamental entender como cada uma funciona antes de movimentar seus fundos.

Loading