O que são Hard Forks e Soft Forks?

29.11.2018

Todo software necessita de constantes atualizações para corrigir falhas ou melhorar a performance. No mundo das criptomoedas, essas atualizações são chamadas de “forks”.

Como a maioria das criptomoedas são descentralizadas, todos os participantes da rede - conhecidos como nodes (nós) - precisam seguir as mesmas regras para trabalharem juntos. Esse conjunto de regras é conhecido como protocolo.

As típicas regras de um protocolo incluem o tamanho de um bloco em uma blockchain, as recompensas que os mineradores recebem por minerar um novo bloco e muito mais.

Existem dois tipos de forks: soft fork e hard fork. Mas ambos tipos de forks fundamentalmente alteram como o protocolo de uma criptomoeda funciona.


Soft Fork

O soft fork é uma mudança no protocolo da criptomoeda que é compatível com versões anteriores. Isso significa que os nós (nodes) que não foram atualizados ainda podem processar transações e enviar novos blocos para a blockchain, desde que não violem as novas regras do protocolo.

Imagine um soft fork que cria uma nova regra para reduzir o tamanho do bloco de 3MB para 2MB. Os nodes mais antigos ainda poderão processar transações e enviar novos blocos com 2MB ou menos. Mas se um node desatualizado tentar enviar um bloco maior que 2MB para a rede, os nodes mais novos e atualizados rejeitarão o bloco, pois isso viola as novas regras. Isso incentiva os nodes mais antigos a se atualizarem para o novo protocolo, já que eles não são tão eficientes quanto os atualizados.

 

Hard fork

Já um hard fork é uma alteração no protocolo de uma criptomoeda que é incompatível com as versões anteriores, o que significa que os nodes que não se atualizarem para a nova versão não poderão processar transações nem enviar novos blocos para a blockchain. Hard forks podem ser usados para alterar ou melhorar um protocolo existente, ou mesmo para criar um novo protocolo e blockchain independentes.

Imagine uma mudança em um protocolo que aumenta o tamanho do bloco de 2MB para 4MB. Se um node atualizado tentar enviar um bloco de 3MB para a blockchain, os nodes desatualizados não reconhecerão esse bloco como válido e o rejeitarão.

Dependendo da situação, hard forks podem ser planejados (consensuais) ou controversos (sem consenso).

Em um fork planejado, os participantes atualizarão voluntariamente seu software para seguir as novas regras, deixando a versão antiga para trás. Os que não atualizarem serão deixados minerando a antiga blockchain, que estará sendo usada por poucas pessoas. 

Mas se um fork é executado sem consenso (o que significa que há um desacordo dentro da comunidade sobre a atualização) o protocolo é geralmente dividido em 2 blockchains paralelas e incompatíveis, com 2 criptomoedas diferentes. Ambas blockchains terão sua própria comunidade, e os desenvolvedores s irão trabalhar no projeto da maneira que acreditarem ser a melhor.

Como um fork é baseado na blockchain original, todas as transações da blockchain original também são copiadas para o novo fork. Por exemplo, se você tiver 100 moedas de uma criptomoeda chamada “Moeda A” e um hard fork baseado nessa criptomoeda criar uma nova chamada “Moeda B”, você também receberá 100 moedas da Moeda B.

Devido à natureza de código aberto das criptomoedas e à medida que mais indivíduos e organizações com objetivos diferentes entram no espaço cripto, os forks continuarão a ser um evento essencial no desenvolvimento das criptomoedas como um todo.

Loading