Guia completo para iniciantes sobre Finança Descentralizada (DeFi)

Compartilhar
Copied to clipboard!
Guia completo para iniciantes sobre Finança Descentralizada (DeFi)
Ouça este artigo
00:00 / 00:00

Conteúdo


O que é Finança descentralizada (DeFi)?

A Finança Descentralizada (ou simplesmente DeFi) se refere a um ecossistema de aplicações financeiras que são construídas no topo das redes blockchain

Mais especificamente, o termo Finança Descentralizada pode ser entendido como um movimento que visa criar um ecossistema de serviços financeiros de código aberto, sem necessidade de permissão (permissionless) e transparente, disponível para todos e operando sem nenhuma autoridade central. Os usuários mantêm controle total sobre seus ativos e interagem com esse ecossistema por meio de aplicações descentralizadas (dApps) peer-to-peer (P2P).

O principal benefício do DeFi é o fácil acesso a serviços financeiros, especialmente para aqueles que estão isolados do sistema financeiro atual. Outra potencial vantagem do DeFi é a estrutura modular em que ele é construído -  aplicações interoperáveis DeFi em blockchains públicas podem criar mercados, produtos e serviços financeiros totalmente novos. 

Este artigo irá fornecer informações introdutórias sobre o DeFi, suas possíveis aplicações, promessas, limitações e muito mais.


Quais são as principais vantagens do DeFi?

As finanças tradicionais dependem de instituições para atuar como intermediários, como bancos, além de outras como tribunais que atuam como mediadores. 

As aplicações DeFi não precisam de intermediários ou mediadores. O código especifica a resolução de todas as possíveis disputas e os usuários mantêm o controle sobre seus fundos o tempo todo. Isso reduz os custos associados ao fornecimento e uso desses produtos e permite um sistema financeiro com menos atritos.

Como esses novos serviços financeiros são implantados no topo de blockchains, pontos únicos de falha são eliminados. Os dados são registrados na blockchain e espalhados por milhares de nós, tornando a censura ou o possível desligamento de um serviço, uma tarefa muito complicada. 

Como as estruturas para aplicações DeFi podem ser construídas antecipadamente, a implantação de uma se torna bem menos complicada e muito mais segura.

Outra vantagem significativa de um ecossistema aberto é a facilidade de acesso para indivíduos que, de outra forma, não teriam acesso a nenhum serviço financeiro. Como o sistema financeiro tradicional depende do lucro de intermediários, seus serviços geralmente estão ausentes em comunidades de baixa renda. No entanto, com o DeFi, os custos são significativamente reduzidos e indivíduos de baixa renda também podem se beneficiar de uma ampla gama de serviços financeiros.


Quais são os potenciais casos de uso do DeFi?

Empréstimos

Os protocolos de empréstimo aberto são um dos tipos mais populares de aplicações que fazem parte do ecossistema DeFi. Os empréstimos abertos e descentralizados apresentam muitas vantagens sobre o sistema de crédito tradicional como liquidação instantânea de transações, garantia de ativos digitais, nenhuma verificação de crédito e possibilidade de padronização no futuro. 

Como esses serviços de empréstimo são construídos em blockchains públicas, eles minimizam a quantidade de confiança necessária e garantem os métodos de verificação criptográfica. Mercados de empréstimos na blockchain reduzem o risco de contraparte e fazem com que os empréstimos sejam mais baratos, mais rápidos e estejam disponíveis para mais pessoas.

Serviços bancários monetários

Como as aplicações DeFi são, por definição, aplicações financeiras, os serviços bancários monetários são um óbvio caso de uso para elas. Dentre esses serviços podemos incluir a emissão de stablecoins (moedas estáveis), hipotecas e seguros.

À medida que a indústria blockchain amadurece, existe um foco maior na criação de stablecoins. Elas são um tipo de criptoativo normalmente vinculado a um ativo do mundo real, mas que pode ser transferido digitalmente com relativa facilidade. Como os preços das criptomoedas podem flutuar muito rapidamente, as stablecoins descentralizadas podem ser adotadas para uso diário como um dinheiro digital que não é emitido nem monitorado por uma autoridade central. 

Principalmente por conta do número de intermediários que precisam ser envolvidos, o processo de obtenção de uma hipoteca é caro e demorado. Com o uso de contratos inteligentes, as taxas legais e de subscrição podem ser reduzidas significativamente.

Os seguros na blockchain poderiam eliminar a necessidade de intermediários e permitir a distribuição dos riscos entre muitos participantes. Isso pode resultar em premiums (prêmios) menores mas com a mesma qualidade de serviço. 

Se quiser ler mais sobre blockchain e serviços bancários, recomendamos a leitura de nosso artigo Como a Tecnologia Blockchain irá impactar o Setor Bancário.

Mercados descentralizados

Essa categoria de aplicações pode ser muito difícil de avaliar, pois é o segmento de DeFi que oferece mais espaço para inovação financeira. 

Indiscutivelmente, algumas das aplicações DeFi mais cruciais são as exchanges descentralizadas (DEX). Essas plataformas permitem que os usuários negociem ativos digitais sem a necessidade de um intermediário confiável (a exchange) para manter seus fundos. As trades são feitas diretamente entre carteiras de usuários com a ajuda de contratos inteligentes. 

Como exigem muito menos trabalho de manutenção, as exchange descentralizadas geralmente têm taxas de trading mais baixas do que as exchanges centralizadas. 

A tecnologia Blockchain também pode ser usada para emitir e consentir a propriedade de uma vários instrumentos financeiros convencionais. Essas aplicações funcionariam de maneira descentralizada, eliminando pontos únicos de falha e a necessidade de usuários custodiantes.

As plataformas de emissão de tokens de segurança, por exemplo, podem fornecer as ferramentas e os recursos para emissores lançarem títulos tokenizados na blockchain com parâmetros personalizáveis. 

Outros projetos podem permitir a criação de derivativos, ativos sintéticos, mercados de previsão descentralizados e muito mais.


Qual o papel dos contratos inteligentes no DeFi?

A maioria das aplicações de Finança Descentralizada envolve a criação e execução de contratos inteligentes. Enquanto um contrato comum usa terminologia legal para especificar os termos do relacionamento entre os participantes de um contrato, o contrato inteligente usa código computacional.

Como seus termos são escritos em código de computador, os contratos inteligentes também têm a capacidade exclusiva de impor esses termos por meio de códigos. Isso permite a execução e automação confiáveis de um grande número de processos de negócios que atualmente exigem supervisão manual.

O uso de contratos inteligentes é mais rápido, fácil e reduz o risco para ambas as partes. Por outro lado, contratos inteligentes também introduzem novos tipos de riscos. Como o código de computador é propenso a ter bugs e vulnerabilidades, o valor e as informações confidenciais bloqueadas nos contratos inteligentes podem estar em risco.


Quais os desafios enfrentados pelo sistema DeFi?

  • Baixo desempenho: blockchains são mais lentas que suas contrapartes centralizadas e isso se reflete nas aplicações criadas sobre elas. Os desenvolvedores de aplicações DeFi precisam levar em conta essas limitações e otimizar seus produtos adequadamente.
  • Alto risco de erro de usuários: aplicações DeFi transferem a responsabilidade dos intermediários para o usuário. Este pode ser um aspecto negativo para muitos. Projetar produtos que minimizem o risco de erro do usuário é um desafio particularmente difícil quando os produtos são implantados em blockchains imutáveis.
  • Má experiência do usuário: atualmente, o uso de aplicações DeFi requer um esforço adicional por parte do usuário. Para que aplicações DeFi sejam um elemento central do sistema financeiro global, elas devem fornecer um benefício tangível que incentive os usuários a migrar do sistema tradicional para o novo sistema.
  • Ecossistema desorganizado: encontrar a aplicação mais adequada para um caso de uso específico pode ser uma tarefa muito difícil e os usuários precisam ter a capacidade de encontrar as melhores opções. O desafio não é apenas construir as aplicações, mas também pensar em como elas se encaixam em um ecossistema DeFi mais amplo.


Qual é a diferença entre DeFi e Open Banking?

O sistema bancário aberto refere-se a um sistema bancário no qual os prestadores de serviços financeiros terceirizados recebem acesso seguro aos dados financeiros através de APIs. Isso possibilita a existência de uma rede de contas e dados incluindo bancos e instituições financeiras não bancárias. Essencialmente, isso possibilita novos tipos de produtos e serviços no sistema financeiro tradicional. 

O DeFi, no entanto, propõe um sistema financeiro totalmente novo, independente da infraestrutura atual. O sistema DeFi também é conhecido como open finance (finanças abertas).

Por exemplo, o sistema bancário aberto pode permitir o gerenciamento de todos os instrumentos financeiros tradicionais em uma única aplicação, extraindo dados de vários bancos e instituições de forma segura. 

Por outro lado, a Finança Descentralizada poderia permitir o gerenciamento de novos instrumentos financeiros e novas maneiras de interagir com eles.


Considerações finais

O foco da Finança Descentralizadas é a criação de serviços financeiros separados do sistema financeiro e político tradicional. Isso possibilita um sistema financeiro mais aberto e poderia potencialmente impedir precedentes de censura e discriminação em todo o mundo.

Embora seja uma ideia tentadora, nem tudo se beneficia da descentralização. Encontrar os casos de uso mais adequados para as características das blockchains é fundamental na construção de um conjunto útil de produtos de sistema financeiro aberto.

Se o sistema DeFi for implantado com sucesso, ele irá assumir o poder de grandes organizações centralizadas e o colocará nas mãos da comunidade de código aberto e dos usuários. Se isso vai ou não criar um sistema financeiro mais eficiente, só saberemos quando a DeFi estiver pronta para ser adotada globalmente.

Loading