O que é Bitcoin?

Compartilhar
Copied to clipboard!
O que é Bitcoin?
Ouça este artigo
00:00 / 00:00

Capítulos

  1. Introdução à Bitcoin
  2. De onde vêm as Bitcoins?
  3. Primeiros passos com a Bitcoin
  4. O Halving de Bitcoin
  5. Equívocos Comuns Sobre Bitcoin
  6. Escalabilidade da Bitcoin
  7. Participando da Rede Bitcoin


Capítulo 1 - Introdução à Bitcoin

Conteúdo


O que é Bitcoin?

Bitcoin é uma forma digital de dinheiro. Porém, ao contrário das moedas fiduciárias com as quais você está acostumado, não existe um banco central que a controla. Em vez disso, o sistema financeiro da Bitcoin é executado por uma rede de milhares de computadores distribuídos em todo o mundo. Qualquer pessoa pode participar do ecossistema, fazendo o download do software de código aberto (open-source).

A Bitcoin foi a primeira criptomoeda, anunciada em 2008 (e lançada em 2009). Ela fornece aos usuários a capacidade de enviar e receber dinheiro digital (bitcoins, com b minúsculo ou BTC). O que a torna tão atraente é o fato de não poder ser censurada, fundos não podem ser gastos mais de uma vez e as transações podem ser feitas a qualquer momento, de qualquer lugar.


Para que se utiliza a Bitcoin?

As pessoas usam Bitcoin por vários motivos. Muitos a apreciam por sua natureza permissionless (não há necessidade de permissão) – qualquer pessoa com conexão à Internet pode enviar e receber Bitcoins. É semelhante ao dinheiro, pois ninguém pode impedir você de usá-lo, mas por ser digital, pode ser transferida globalmente.


O que torna a Bitcoin valiosa?

A Bitcoin é descentralizada, resistente à censura, segura e sem fronteiras. 

Essas qualidades, tornaram a Bitcoin atraente para diversos casos de uso, como remessas e pagamentos internacionais, em que os indivíduos não desejam revelar suas identidades (como acontece com o uso de cartões de débito ou crédito).

Muitos não gastam suas bitcoins, preferindo mantê-las a longo prazo (ação conhecida como hodling). A Bitcoin foi apelidada de ouro digital, devido ao fornecimento finito de moedas disponíveis. Alguns investidores veem a Bitcoin como uma reserva de valor. Devido à escassez e dificuldade de produção, foi comparada a metais preciosos como ouro ou prata. 

Os Holders acreditam que essas características – combinadas com disponibilidade global e alta liquidez – a tornam um meio ideal para armazenar valores por longos períodos. Eles acreditam que o valor da Bitcoin continuará aumentando com o passar do tempo.


Como funciona a Bitcoin?

Quando Alice faz uma transação para Bob, ela não está enviando fundos da maneira convencional. Não é como o equivalente digital de entregar notas de dólar. É como se ela estivesse escrevendo em uma folha de papel (que todo mundo pode ver) que está dando dólares para Bob. Quando Bob for enviar esses mesmos fundos para Carol, Carol pode confirmar que Bob possui os fundos, consultando a folha de papel.


exemplos de transações


Essa "folha" é um tipo específico de banco de dados chamado de blockchain. Todos os participantes da rede têm uma cópia idêntica armazenada em seus dispositivos. Os participantes se conectam para sincronizar novas informações.

Quando um usuário faz um pagamento, ele o transmite diretamente para a rede peer-to-peer – não há um banco ou instituição centralizada para processar as transferências. Para adicionar novas informações, a blockchain da Bitcoin usa um mecanismo especial chamado de mineração. É através desse processo que novos blocos de transações são registrados na blockchain.


O que é blockchain?

Blockchain é uma tecnologia de registro append-only: ou seja, dados podem ser apenas adicionados à ela. Depois que as informações são adicionadas, é extremamente difícil modificá-las ou removê-las. A blockchain aplica essa propriedade incluindo, em todos os blocos subsequentes, um vínculo ao bloco anterior.


como a blockchain usa o hash do bloco anterior para produzir o próximo bloco


Esse vínculo é na verdade um hash do bloco anterior. Hashing envolve a passagem de dados através de uma função unidirecional para produzir uma “impressão digital” exclusiva de uma entrada específica (input). Se o input for modificado, mesmo que ligeiramente, a impressão digital será completamente diferente. Como os blocos são organizados em cadeias, não há como editar um input antiga sem invalidar os blocos seguintes. Essa estrutura é um dos componentes que tornam a blockchain segura.

Para uma introdução geral às blockchains, consulte o Guia para iniciantes sobre Tecnologia Blockchain..


A Bitcoin é perfeitamente legal na maioria dos países. Porém, existem algumas exceções – consulte as leis de sua jurisdição antes de investir em criptomoedas.

Nos países em que a Bitcoin é legal, as entidades governamentais adotam abordagens variadas em relação a tributos e conformidade. De modo geral, a regulamentação ainda não foi altamente desenvolvida e provavelmente irá mudar de forma considerável nos próximos anos.


História da Bitcoin

Quem criou a Bitcoin?

Ninguém sabe! O criador da Bitcoin usou o pseudônimo Satoshi Nakamoto, mas não sabemos nada sobre sua identidade. Satoshi pode ser uma pessoa ou um grupo de desenvolvedores em qualquer lugar do mundo. O nome é de origem japonesa, mas o domínio do inglês de Satoshi faz com que muitos acreditem que ele/ela/eles são originários de um país de língua inglesa.

Satoshi publicou o white paper da Bitcoin, bem como o software. No entanto, o misterioso criador desapareceu em 2010.


Foi Satoshi quem inventou a tecnologia blockchain?

A Bitcoin, na verdade, combina várias tecnologias existentes que já existem há algum tempo. O conceito de uma cadeia de blocos não nasceu com a Bitcoin. O uso de estruturas de dados inalteráveis como essa, já ocorreu no início dos anos 90, quando Stuart Haber e W. Scott Stornetta propuseram um sistema de timestamping de documentos. Muito parecido com as blockchains de hoje, ele contava com técnicas criptográficas para proteger os dados e impedir que eles fossem adulterados.

Curiosamente, em nenhum momento o white paper de Satoshi utiliza o termo “blockchain”.

Veja também: História da Blockchain.


Dinheiro digital antes da Bitcoin

A Bitcoin não foi a primeira tentativa de dinheiro digital, mas é certamente a mais bem-sucedida. Os esquemas anteriores abriram caminho para a invenção de Satoshi:

DigiCash

A DigiCash foi uma empresa fundada pelo criptógrafo e cientista da computação David Chaum no final dos anos 80. Foi criada como uma solução orientada à privacidade para transações online, com base em um artigo de autoria de Chaum (explicado aqui).

O modelo da DigiCash era um sistema centralizado, mas era um experimento interessante. Mais tarde, a empresa faliu. Chaum acredita ter sido devido à sua criação antes que o e-commerce realmente decolasse.

B-money

A B-money foi uma proposta do engenheiro de computação Wei Dai, publicada na década de 1990. Foi citada no white paper da Bitcoin e não é difícil de entender o porquê. 

A B-money propôs um sistema Proof of Work (usado na mineração de Bitcoin) e o uso de um banco de dados distribuído onde os usuários confirmam as transações. Uma segunda versão da B-money também descreveu uma ideia semelhante ao staking, que é um sistema utilizado por outras criptomoedas atualmente.

No final das contas, a B-money nunca decolou, pois não passou do estágio inicial. Entretanto, a Bitcoin claramente se inspira nos conceitos apresentados por Dai.

Bit Gold

Existem tantas semelhanças entre a Bit Gold e a Bitcoin que alguns acreditam que seu criador, o cientista da computação Nick Szabo, é Satoshi Nakamoto. Essencialmente, a Bit Gold consiste de um ledger que registra cadeias de dados originadas da operação de Proof of Work.

Assim como a B-money, o desenvolvimento da Bit Gold não foi adiante. Suas semelhanças com a Bitcoin, no entanto, consolidaram sua reputação como a “precursora da Bitcoin.”




Capítulo 2 - De onde vêm as Bitcoins?

Conteúdo


Como são criadas novas bitcoins?

O fornecimento de Bitcoin é finito, mas nem todas as unidades estão em  circulação> ainda. A única maneira de criar novas moedas é através de um processo chamado mineração – um mecanismo especial para adição de dados à blockchain.


Quantas bitcoins existem?

O protocolo fixa o fornecimento máximo de Bitcoin em 21 milhões de moedas. Em 2020, a geração de moedas já terá alcançado quase 90% do total, mas levará mais de cem anos para produzir as 10% restantes. Isso ocorre devido a eventos periódicos conhecidos como halvings, que reduzem gradualmente as recompensas de mineração.


Como funciona a mineração da Bitcoin?

Ao minerar, os participantes adicionam blocos à blockchain. Para isso, eles devem dedicar muito poder computacional à resolução de um quebra-cabeça criptográfico. Como incentivo, existe uma recompensa disponível para quem propõe um bloco válido. 

Gerar um bloco é caro, mas é barato verificar se ele é válido. Se alguém tentar trapacear com um bloco inválido, a rede irá rejeitá-lo imediatamente e o minerador não poderá recuperar os custos de mineração.

A recompensa - geralmente chamada de recompensa de bloco – é composta de dois componentes: comissões associadas às transações e o subsídio por bloco. O subsídio do bloco é a única fonte de “novas” bitcoins. A cada bloco minerado, uma quantidade definida de moedas é adicionada ao fornecimento total.


Quanto tempo leva para minerar um bloco?

O protocolo ajusta a dificuldade da mineração, de modo que leva aproximadamente dez minutos para encontrar um novo bloco válido. Nem sempre os blocos são minerados em exatamente dez minutos após o anterior – o tempo necessário varia em torno deste valor.




Capítulo 3 - Primeiros passos com a Bitcoin

Conteúdo


Como posso comprar Bitcoin?

Como comprar Bitcoin com cartão de crédito/débito

A Binance permite que você compre Bitcoin direto de seu navegador, de forma muito simples. Para fazer isso:

  1. Acesse a página de Compra e Venda de Criptomoedas
  2. Selecione a criptomoeda que deseja comprar e a moeda que deseja utilizar para pagamento.
  3. Acesse sua conta da Binance ou registre-se caso ainda não tenha uma.
  4. Selecione o método de pagamento.
  5. Caso seja solicitado, insira os detalhes do seu cartão e conclua a verificação de identidade.
  6. Pronto! Suas Bitcoins serão depositadas em sua conta da Binance.

Como comprar Bitcoin em mercados peer-to-peer

Você também pode comprar e vender Bitcoin em mercados peer-to-peer. Isso permite que você compre moedas de outros usuários, diretamente do aplicativo de celular da Binance. Para fazer isso:

  1. Abra o aplicativo e acesse sua conta.
  2. Selecione Compra e venda com um clique e depois toque na aba Comprar no canto superior esquerdo da tela.
  3. Aparecerão algumas opções de ofertas – toque em Comprar na oferta que preferir.
  4. Você pode pagar com outras criptomoedas (na aba Crypto) ou com moeda fiduciária (na aba Fiat). 
  5. Em seguida, você deverá selecionar o método de pagamento. Escolhe a melhor opção para você.
  6. Selecione Comprar BTC.
  7. Agora você deve concluir o pagamento. Quando terminar, selecione Marcar como pago e confirme.
  8. A transação será concluída quando o vendedor enviar suas moedas.



Pensando em experimentar as criptomoedas? Compre Bitcoin na Binance!



O que posso comprar com Bitcoin?

Você pode comprar muitas coisas com Bitcoin. Neste momento, ainda pode ser difícil (embora não impossível) localizar comerciantes e lojas físicas que aceitam Bitcoin. No entanto, você pode encontrar sites que vendem cartões-presente para outros serviços ou que aceitam pagamentos em Bitcoin.

Alguns exemplos do que você pode comprar com Bitcoin:

  • Passagens de avião 
  • Hospedagem em hotéis
  • Imóveis
  • Comida e bebida
  • Roupas
  • Cartões-presente
  • Assinaturas e inscrições online


Onde posso gastar Bitcoin?

Existe um número crescente de locais e estabelecimentos que aceitam pagamentos com Bitcoin! Citaremos alguns deles. 

TravelbyBit

Evite as pesadas taxas de cartão de crédito enquanto viaja pelo mundo! Você pode reservar voos e hotéis com Bitcoin e outras criptomoedas através da TravelbyBit. Registre-se, faça uma reserva com cripto e ganhe 10% de desconto.

Spendabit

O Spendabit é um mecanismo de busca de produtos que podem ser comprados com Bitcoin. Basta procurar o que você gostaria de comprar e consultar a lista de comerciantes que aceitam pagamento em Bitcoin.

Coinmap

Pesquisa todos os comerciantes de criptomoedas e caixas eletrônicos em sua área. Se você está procurando por opções para gastar suas Bitcoins, essa pode ser a plataforma ideal para você.

Bitrefill

Aqui você pode comprar cartões-presente para centenas de serviços e carregar seu celular com Bitcoin e outras criptomoedas. É um processo muito fácil e você também pode usar a Lightning Network para efetuar pagamentos.


Mapa de calor de vendedores

Mapa de calor de estabelecimentos que aceitam criptomoedas como pagamento. Fonte: https://coinmap.org/


E se eu perder minhas Bitcoins?

Como não existe um banco envolvido, você é responsável por manter suas moedas seguras. Alguns preferem armazená-las em exchanges, enquanto outros assumem a custódia usando uma (ou mais) das várias opções de carteiras. Se você usa uma carteira, é extremamente importante que você anote sua seed phrase para poder restaurá-la caso necessário.


Posso reverter transações de Bitcoin?

Depois que os dados são adicionados à blockchain, não é fácil removê-los (é praticamente impossível). Isso significa que, quando você faz uma transação, ela não pode ser desfeita. Você deve sempre verificar duas vezes, três vezes e ter certeza de que está enviando seus fundos para o endereço correto.

Para entender um exemplo de como você poderia, teoricamente, reverter uma transação, consulte o artigo O que é um Ataque de 51%?


Posso ganhar dinheiro com Bitcoin?

É possível ganhar dinheiro com Bitcoin, mas também é possível perder dinheiro com ela. Normalmente, os investidores de longo prazo compram e armazenam Bitcoin acreditando em sua valorização no futuro. Outros optam por negociar ativamente Bitcoin e outras criptomoedas para obtenção de lucros a curto e médio prazo. Ambas as estratégias são arriscadas, mas geralmente proporcionam mais recompensas do que abordagens de baixo risco.

Alguns investidores adotam estratégias híbridas. Eles mantêm bitcoins como um investimento de longo prazo e, ao mesmo tempo, negociam algumas (em um portfólio separado) a curto prazo. Não existe uma maneira correta ou incorreta de alocar ativos em seu portfólio – cada investidor tem um gerenciamento de risco e objetivos diferentes.

Os empréstimos (lending) são uma forma cada vez mais popular de renda passiva. Ao emprestar suas moedas para outra pessoa, você pode gerar juros que serão pagos posteriormente. Plataformas como a Binance Lending permitem fazer isso com Bitcoin e outras criptomoedas.


Como posso armazenar Bitcoin?

Existem muitas opções para armazenamento de moedas, cada uma com suas vantagens e desvantagens.


Armazenando suas Bitcoins na Binance

Uma solução de custódia é o armazenamento em que o usuário não detém suas moedas e confia em terceiros para fazê-lo. Quando o usuário deseja efetuar transações, ele acessa sua conta cadastrada na plataforma. Exchanges como a Binance costumam usar esse modelo por ser muito mais eficiente para as operações em geral.

Armazenar moedas na Binance permite que você as acesse facilmente para fins de trading ou empréstimos. 

Armazenando suas moedas em uma carteira de Bitcoin

Opções sem custódia de terceiros são o oposto – elas colocam o usuário no controle de seus fundos. Para armazenar fundos com dessa forma, se utiliza uma carteira. Uma carteira não armazena suas moedas de forma direta – em vez disso, ela possui chaves criptográficas que as desbloqueiam na blockchain. Você tem duas principais opções para esse tipo de armazenamento:

Hot wallets

Uma "hot wallet" é um software que se conecta de alguma forma à Internet. Geralmente, ele assume a forma de um aplicativo de celular ou de computador que permite o envio e recebimento de moedas com facilidade. Um exemplo de aplicativo fácil de usar e com suporte para muitas moedas é a Trust Wallet. Por estarem conectadas à rede, as hot wallets são geralmente mais convenientes para realização de pagamentos, mas também são mais vulneráveis a ataques.

Cold wallets

As carteiras de criptomoedas que não são expostas à Internet são conhecidas como "cold wallets". Elas são menos propensas a ataques pois não há um vetor de ataque online mas, consequentemente, costumam proporcionar uma experiência menos prática ao usuário. Alguns exemplos são carteiras de hardware ou carteiras de papel (paper wallets).

Para uma análise mais detalhada dos tipos de carteira, consulte Guia de Carteiras de Criptomoedas.




Capítulo 4 - O Halving de Bitcoin

Conteúdo


O que é o Halving de Bitcoin?

O Halving de Bitcoin (também chamado de Bitcoin halvening) é simplesmente um evento que reduz a recompensa do bloco. Quando ocorre um Halving, a recompensa dada aos mineradores pela validação de novos blocos cai pela metade. No entanto, esse evento não causa impacto nas taxas de transação.


Como funciona o Halving de Bitcoin?

Quando a Bitcoin foi lançada, os mineradores recebiam 50 BTC para cada bloco válido que encontrassem.

O primeiro Halving aconteceu no dia 28 de novembro de 2012. Naquele momento, o protocolo reduziu o subsídio de bloco de 50 BTC para 25 BTC. O segundo evento ocorreu em 9 de julho de 2016 (de 25 BTC para 12,5 BTC). O próximo, previsto para maio de 2020, reduzirá o valor para 6,25 BTC.

Podemos notar um certo padrão aqui. Desconsiderando uma diferença de poucos meses, aparentemente, um novo Halving ocorre a cada quatro anos. Os eventos de Halving ocorrem por padrão, mas o protocolo não define datas específicas. Ele leva em conta a altura de blocoa cada 210.000 blocos, ocorre um Halving. Portanto, podemos esperar cerca de 2.100.000 minutos até o próximo evento (lembrando que um bloco leva aproximadamente 10 minutos para ser minerado).


cronograma de emissão da bitcoin


No gráfico acima, podemos ver a diminuição do subsídio de bloco ao longo do tempo e sua relação com o fornecimento total. A princípio, pode parecer que as recompensas caíram para zero e que o fornecimento máximo já está em circulação. Mas esse não é o caso. As curvas estão muito próximas, mas a expectativa é de que o valor de subsídio chegue a zero por volta do ano 2140.


Por que ocorre o Halving de Bitcoin?

É um dos principais pontos positivos para venda de Bitcoin, mas Satoshi Nakamoto nunca explicou completamente seu raciocínio para limitar o fornecimento total a 21 milhões de unidades. Alguns especulam que é um simples resultado de se começar com um subsídio de bloco de 50 BTC, que é dividido ao meio a cada 210.000 blocos.

Ter um fornecimento finito significa que a moeda não está sujeita a depreciação a longo prazo. Ela contrasta fortemente com o dinheiro fiduciário, que perde o poder de compra ao longo do tempo à medida que novas unidades entram em circulação.

Faz todo o sentido que haja um limite na velocidade com que os participantes podem minerar moedas. Afinal, 50% foram geradas até o bloco de número 210.000 (ou seja, até 2012). Se o valor de subsídio permanecesse o mesmo, todas as unidades já teriam sido mineradas até 2016.

Com o mecanismo de Halving, existe um incentivo para minerar por mais de 100 anos. Isso dá ao sistema tempo mais que suficiente para atrair usuários e para que um mercado de comissões possa se desenvolver.



Pensando em experimentar as criptomoedas? Compre Bitcoin na Binance!



Qual o impacto do Halving de Bitcoin?

É claro que os mais afetados pelos eventos de Halving são os mineradores. A recompensa de bloco representa uma parte significativa de sua receita. Quando ocorre o Halving, eles passam a receber apenas metade do que costumavam pelo mesmo trabalho. As taxas de transação também fazem parte do valor de recompensa, mas até o momento elas representam apenas uma pequena fração do valor.

Halvings podem, portanto, tornar o processo de mineração inútil para alguns participantes. Entretanto, o que isso pode representar para a indústria, de modo geral, ainda é desconhecido. É possível que a redução nas recompensas de bloco cause uma centralização nas pools de mineração ou simplesmente promova práticas de mineração mais eficientes.

Se a Bitcoin continuar dependendo de um algoritmo Proof of Work, as taxas precisariam aumentar para manter a mineração lucrativa. Este é um cenário totalmente possível, pois os blocos podem conter um número limitado de transações. Se houver muitas transações pendentes, aquelas com taxas mais altas serão adicionadas primeiro.

Historicamente, ocorreu um aumento considerável no preço da Bitcoin após eventos de Halving. Obviamente, não temos uma grande amostra de dados disponíveis, pois só foram dois Halvings até agora. Muitos atribuem a movimentação dos preços a uma valorização relacionada à escassez de Bitcoin no mercado, que é consequência do Halving. Os defensores dessa teoria acreditam que o valor voltará a subir rapidamente após o próximo evento que ocorrerá em maio de 2020.

Outros discordam dessa lógica, argumentando que o comportamento do mercado já considera o próximo halving (consulte Hipótese do mercado eficiente). Não é como se o evento fosse uma surpresa – os participantes da rede sabem há mais de uma década que a recompensa de bloco seria reduzida em maio de 2020. Outro ponto importante é que a indústria de criptomoedas era extremamente subdesenvolvida nos períodos dos dois primeiros eventos de Halving. Atualmente, o setor apresenta um perfil mais elevado, oferece ferramentas sofisticadas de trading e é mais flexível e atrativo para diferentes grupos de investidores.


Quando será o próximo Halving de Bitcoin?

O próximo evento de Halving está previsto para maio de 2020, quando a recompensa de bloco cairá para 6,25 BTC. Acompanhe a contagem regressiva Bitcoin Halving Countdown da Binance Academy.




Capítulo 5 - Equívocos Comuns Sobre Bitcoin

Conteúdo


A Bitcoin é Anônima?

Na verdade não. A Bitcoin pode parecer anônima inicialmente, mas isso não é verdade. A blockchain da Bitcoin é pública e qualquer pessoa pode ver as transações. A sua identidade não está vinculada aos endereços de carteira visíveis na blockchain, mas com os recursos certos é possível que uma pessoa encontre essa correspondência. É mais correto descrever a Bitcoin como pseudônima. Os endereços de Bitcoin são visíveis para todos, mas os nomes de seus proprietários não.

O sistema é relativamente privado e existem métodos para dificultar que descubram o que você está fazendo com suas bitcoins. Tecnologias disponíveis gratuitamente podem "romper o vínculo" entre endereços. Além disso, futuras atualizações podem aumentar muito a privacidade – confira o artigo Uma Introdução às Transações Confidenciais para mais informações e exemplos práticos.


A Bitcoin é uma Fraude?

Não. Assim como o dinheiro fiduciário, a Bitcoin também está sujeita a uso em atividades ilegais. Entretanto, isso não a torna uma fraude.

Bitcoin é uma moeda digital que não é controlada por ninguém. Depreciadores a classificaram como um esquema de pirâmide, mas ela não se encaixa na definição. Como dinheiro digital, ela funciona bem tanto a US$20 por moeda quanto a US$20.000 por moeda. A tecnologia da Bitcoin já completou mais de uma década e provou ser muito segura e confiável.

Infelizmente, a Bitcoin é usada em muitos golpes dos quais você deve estar ciente. Isso pode incluir phishing e outros esquemas de engenharia social, como brindes falsos e airdrops. Lembre-se da regra geral: se algo parece bom demais para ser verdade, provavelmente é uma fraude. Nunca forneça suas chaves privadas ou seed phrase a ninguém e tenha cuidado com os esquemas que oferecem a possibilidade de multiplicar seu dinheiro com poucos riscos aparentes. Se você enviar suas moedas a um scammer (golpista) ou gastá-las em uma oferta falsa, elas serão perdidas para sempre.


A Bitcoin é uma Bolha?

Durante os vários períodos de aumentos parabólicos no preço da Bitcoin, era comum ver as pessoas se referindo a ela como uma bolha especulativa. Muitos economistas compararam a Bitcoin ao evento do Tulip Mania ou ao boom das dot-com. 

Devido à natureza única da Bitcoin como uma mercadoria digital descentralizada, seu preço é totalmente determinado pela especulação no mercado livre. Portanto, embora existam muitos fatores que influenciam o preço da Bitcoin, na realidade eles afetam a oferta e a demanda do mercado. E como a Bitcoin é escassa e segue um cronograma de emissão rigoroso, acredita-se que a demanda a longo prazo irá ultrapassar a oferta.

Os mercados de criptomoeda são relativamente pequenos quando comparados aos mercados tradicionais. Isso significa que a Bitcoin e outros criptoativos de tendem a ser mais voláteis. É bastante comum ver desequilíbrios, a curto prazo, entre a oferta e a demanda do mercado.

Em outras palavras, a Bitcoin pode, às vezes, ser um ativo muito volátil. Mas a volatilidade faz parte dos mercados financeiros, especialmente aqueles com volume e liquidez relativamente baixos.


A Bitcoin usa Encriptação?

Não. Esse é um equívoco comum, mas a blockchain da Bitcoin não usa encriptação. Todos os pares da rede devem ser capaz de fazer a leitura das transações para garantir que elas sejam válidas. A blockchain da Bitcoin utiliza assinaturas digitais<0> e funções de hash. Embora alguns algoritmos de assinatura digital usem encriptação, esse não é o caso da Bitcoin.

Vale ressaltar, no entanto, que muitos aplicativos e carteiras de criptomoedas usam encriptação para proteger as carteiras dos usuários com senhas. Ainda assim, esses métodos de encriptação não têm nada a ver com a blockchain – eles são apenas incorporados a outras tecnologias que a utilizam.




Capítulo 6 - Escalabilidade da Bitcoin

Conteúdo


O que é escalabilidade?

Escalabilidade é uma medida da capacidade de um sistema crescer para acomodar uma demanda crescente. Se você hospedar um site que está cheio de solicitações, poderá escalá-lo adicionando mais servidores. Da mesma forma, se quiser executar aplicativos mais pesados em seu computador, você pode fazer um upgrade dos componentes.

No contexto de criptomoedas, usamos o termo escalabilidade para descrever a facilidade com que uma blockchain se atualiza para poder processar um número maior de transações.


Por que a Bitcoin precisa escalar?

Para funcionar em pagamentos diários, o sistema da Bitcoin deve ser rápido. No momento, ele possui um rendimento relativamente baixo pois existe uma quantidade limitada de transações que pode ser processada por bloco. 

Conforme mencionado no capítulo anterior, os mineradores recebem taxas de transação como parte da recompensa de bloco. Os usuários anexam taxas a suas transações para incentivar os mineradores a adicionar suas transações à blockchain. 

Os mineradores procuram obter um retorno do investimento que fizeram em hardware e eletricidade, priorizando as transações com taxas mais altas. Se houver muitas transações na “sala de espera” da rede (conhecida como mempool), as taxas poderão aumentar significativamente conforme os usuários solicitam a inclusão de suas transações. No pior dos casos, a taxa média ultrapassou US$50.


Quantas transações a Bitcoin pode processar?

Com base no número médio de transações por bloco, no momento a Bitcoin pode gerenciar aproximadamente cinco transações por segundo. É um número muito menor do que o de soluções de pagamento centralizadas. Esta é uma desvantagem de uma moeda descentralizada. 

Como o gerenciamento não é feito por um data center (centro de dados) que uma única entidade pode atualizar à vontade, a Bitcoin deve limitar o tamanho de seus blocos. Um novo tamanho de bloco que possibilita 10.000 transações por segundo pode ser integrado, mas prejudicaria a descentralização da rede. Lembre-se de que os nós completos (full nodes) precisam baixar novas informações a cada dez minutos, aproximadamente. Se o processo ficar muito difícil e desvantajoso, é provável que eles se desconectem da rede.

Para usar o protocolo na área de pagamentos, os entusiastas da Bitcoin acreditam que a escalabilidade eficaz deve ser alcançada de diferentes maneiras.


O que é Lightning Network?

A Lightning Network é uma solução de escalabilidade proposta para a Bitcoin. Nós a chamamos de solução layer two (camada dois) pois ela afasta as transações da blockchain. Em vez de registrar todas as transações na base layer (camada base), elas são tratadas por outro protocolo construído sobre ela.

A Lightning Network permite que os usuários enviem fundos quase instantaneamente e de graça. Não há restrições na taxa de transferência (desde que os usuários tenham capacidade para enviar e receber). Para usar a Bitcoin Lightning Network, dois participantes bloqueiam algumas de suas moedas em um endereço especial. O endereço tem uma propriedade única – ele só libera as bitcoins se ambas as partes concordarem. 

A partir daí, as partes mantêm um registro particular (private ledger) que pode realocar os saldos sem anunciar a transação na cadeia principal. Só é publicada uma transação na blockchain quando todo o processo é finalizado. O protocolo irá então atualizar seus saldos de acordo. Observe que não há necessidade de confiança entre as partes. Se alguém tentar trapacear, o protocolo irá detectar e punir o usuário.

Um canal de pagamento desse tipo requer, no total, apenas duas transações on-chain do usuário – uma para enviar fundos ao seu endereço e outra para distribuir as moedas posteriormente. Isso significa que milhares de transferências podem ser feitas durante esse período. Com mais desenvolvimento e otimização, a tecnologia pode se tornar um componente fundamental para grandes sistemas de blockchain.

Para mais detalhes sobre a questão da escalabilidade e suas possíveis soluções, consulte o artigo Escalabilidade da Blockchain – Sidechains e Canais de Pagamento.


O que são forks?

Como a Bitcoin é open-source (de código aberto), qualquer pessoa pode modificar o software. Você pode adicionar novas regras ou remover regras antigas para atender a diferentes necessidades. Mas nem todas as alterações são feitas da mesma forma: algumas atualizações tornarão seu nó incompatível com a rede, enquanto outras serão compatíveis com versões anteriores.


Soft forks

Um soft fork é uma alteração nas regras que permite que os nós atualizados interajam com os antigos. Vamos considerar o tamanho de bloco como exemplo. Suponha que tenhamos um tamanho de bloco de 2 MB e que metade da rede implemente uma alteração – a partir de agora, todos os blocos devem ser de no máximo 1 MB. Qualquer tamanho maior seria rejeitado. 

Nós mais antigos ainda podem receber esses blocos ou propagar seus próprios. Isso significa que todos os nós permanecem parte da mesma rede, independentemente da versão que utilizam. 

Na animação abaixo, podemos notar que os blocos menores são aceitos tanto pelos nós mais antigos, quanto pelos atualizados. No entanto, os nós mais novos não reconhecerão blocos de 2 MB, pois eles já estão seguindo as novas regras.


gif de explicação do soft fork


O Segregated Witness (ou SegWit) da Bitcoin é um exemplo de soft fork. Usando uma técnica inteligente, ele introduziu um novo formato para blocos e transações. Nós antigos continuam recebendo informações de blocos, mas não validam o novo tipo de transação.


Hard forks

Um hard fork é mais complicado. Suponha agora que metade da rede queira aumentar o tamanho de bloco de 2 MB para 3 MB. Se você tentar enviar um bloco de 3 MB para nós mais antigos, os nós o rejeitarão, pois as regras indicam claramente que 2 MB é o tamanho máximo que eles podem aceitar. Como as duas redes não são mais compatíveis, a blockchain se divide em duas.


gif de explicação do hard fork


A cadeia preta no diagrama acima é a original. O bloco 2 é onde o hard fork ocorreu. Nesse ponto, os nós que foram atualizados começaram a produzir blocos maiores (os verdes). Os nós mais antigos não os reconhecem e continuam por um caminho diferente. Agora existem duas blockchains, mas elas compartilham uma história até o Bloco 2.

Agora, existem dois protocolos diferentes, cada um com uma moeda diferente. Todos os saldos do protocolo antigo são clonados, o que significa que se você tinha 20 BTC na cadeia original, terá 20 NovaBTC na nova cadeia.

Em 2017, a Bitcoin passou por um controverso hard fork em um cenário semelhante ao descrito acima. Uma minoria de participantes queria aumentar o tamanho de bloco para garantir mais produtividade e menores taxas de transação. Outros acreditavam que essa era uma estratégia de escalabilidade ruim. Eventualmente, o hard fork deu origem à Bitcoin Cash (BCH), que se separou da rede Bitcoin e agora possui uma comunidade e um roteiro independentes.

Para saber mais sobre forks, consulte Hard Forks and Soft Forks.




Capítulo 7 - Participando da Rede Bitcoin

Conteúdo


O que é um Bitcoin Node?

“Bitcoin Node” é um termo usado para descrever um programa que interage com a rede Bitcoin de alguma forma. Pode ser desde um simples celular operando uma carteira Bitcoin até um computador dedicado que armazena uma cópia completa da blockchain.

Existem diversos tipos de nós e cada um possui funções específicas. Todos eles agem como um ponto de comunicação da rede. Dentro do sistema, eles transmitem informações sobre transações e blocos. 


Como funciona o Bitcoin Node?

Full Nodes

Um Full Node valida transações e blocos caso eles atendam a certos requisitos (ou seja, cumpram as regras). A maior parte dos Full Nodes é executada no software Bitcoin Core, que é a implementação de referência do protocolo Bitcoin. 

O Bicoin Core foi o programa lançado por Satoshi Nakamoto em 2009 – na época foi chamado simplesmente de Bitcoin, mas depois foi renomeado para evitar confusão. Outras implementações também podem ser utilizadas, desde que sejam compatíveis com o Bitcoin Core.

Os Full Nodes são parte essencial da descentralização da Bitcoin. Eles baixam e validam blocos e transações e então os transmitem para o restante da rede. Como os Full Nodes verificam de forma independente a autenticidade das informações que recebem, o usuário não depende de nenhum intermediário ou terceiro para nada.

Se um Full Node armazenar uma cópia completa de uma blockchain, ele é chamado de full archival node, que significa "nó de arquivo completo". Entretanto, alguns usuários descartam blocos antigos para economizar espaço – a blockchain da Bitcoin posui mais de 200 GB de dados de transações.


Distribuição global dos full nodes de bitcoin

Distribuição global dos Full Nodes de Bitcoin. Fonte: bitnodes.earn.com


Light Nodes

Os Light Nodes não possuem a capacidade dos Full Nodes, mas requerem menos recursos. Os Light Nodes permitem a interação dos usuários com a rede, sem a necessidade de executar todas as operações que os Full Nodes executam. 

Enquanto um Full Node valida e efetua o download de todos os blocos, os Light Nodes baixam apenas uma parcela de cada bloco (chamada de Block Header) Apesar de ter um tamanho relativamente pequeno, o Block Header contém informações que permitem que usuários verifiquem em quais blocos estão contidas suas transações. 

Os Light Nodes são ideais para dispositivos com limitações de largura de banda ou espaço. É comum encontrar este tipo de nó sendo utilizado em carteiras para computadores e celulares. Entretanto, como os Light Nodes não podem efetuar validações, eles são dependentes dos Full Nodes.


Mining Nodes

Os Mining Nodes (nós de mineração) são Full Nodes que executam uma tarefa adicional – eles produzem blocos. Conforme mencionado anteriormente, são necessários equipamentos e softwares especializados para adicionar dados à blockchain. 

Os Mining Nodes pegam transações pendentes e as submetem a funções de hash, juntamente com outras informações, para gerar um número. Se o número gerado for inferior ao número alvo definido pelo protocolo, o bloco é válido e pode ser transmitido para outros Full Nodes.

Mas para minerar sem depender de mais ninguém, os mineradores precisam executar um Full Node. Caso contrário, eles não saberão quais transações devem incluir no bloco. 

Se um participante quiser minerar, mas não quiser usar um Full Node, ele poderá se conectar a um servidor que fornece as informações necessárias. Se você minera em uma pool (ou seja, em conjunto com outras pessoas), só é necessário que um dos membros execute um Full Node.

Para uma análise dos diferentes tipos de nós, consulte O que são Nodes?


Como executar um Full Node da Bitcoin

Um Full Node pode ser vantajoso para desenvolvedores, comerciantes e usuários finais. Executar o Bitcoin Core em seu próprio hardware proporciona benefícios em termos de privacidade e segurança, além de fortalecer a rede Bitcoin de modo geral. Com um Full Node, você não depende mais de ninguém para interagir com o ecossistema.

Algumas empresas do setor de Bitcoin oferecem nós plug-and-play. Um hardware pré-construído é enviado ao usuário, que só precisa ligá-lo para começar o download da blockchain. Isso pode ser conveniente para usuários menos técnicos, mas geralmente é um método consideravelmente mais caro do que configurar seus próprios nós.

Na maioria dos casos, um notebook ou PC antigo será suficiente. Não é aconselhável executar um nó em seu computador do dia a dia, pois isso pode deixá-lo consideravelmente mais lento. A blockchain cresce continuamente, então você precisa garantir que tenha memória suficiente para fazer o download de todos os arquivos. 

Um disco rígido de 1 TB será suficiente para os próximos anos, desde que não haja nenhuma grande alteração no tamanho dos blocos. Outros requisitos incluem 2 GB de RAM (a maioria dos computadores já possui mais do que isso por padrão) e uma internet (banda larga) muito potente. 

A partir daí, você pode consultar o guia Executando um Full Node do bitcoin.org, que fornece detalhes do processo de configuração do seu nó. 


Como minerar Bitcoin

Nos primeiros dias da Bitcoin, era possível criar novos blocos com notebooks convencionais. O sistema era desconhecido naquele momento, então havia pouca concorrência na mineração. Como a atividade era muito limitada, o protocolo naturalmente estabelecia uma dificuldade de mineração mais baixa.

À medida que a taxa de hash da rede aumentava, os participantes precisavam utilizar equipamentos melhores para manter a competitividade. Após a transição através de vários tipos de hardware, a indústria de mineração acabou entrando no que poderíamos chamar de era dos Circuitos Integrados de Aplicação Específica (Application-Specific Integrated Circuits, ASICs).

Como o nome sugere, esses dispositivos são criados com um objetivo específico. Eles são extremamente eficientes, mas são capazes de executar apenas uma tarefa. Portanto, um ASIC de mineração é um computador especializado para mineração e nada mais. Um ASIC de Bitcoin pode minerar Bitcoin, mas não pode minerar moedas que não usam o mesmo algoritmo.

A mineração de Bitcoin hoje exige um investimento muito elevado – não apenas em hardware, mas também em energia. No período de criação deste artigo, um bom dispositivo de mineração é capaz de realizar mais de dez trilhões de operações por segundo. Embora muito eficientes, os ASICs de mineração consomem quantidades enormes de energia elétrica. A menos que você tenha acesso a várias plataformas de mineração e eletricidade barata, é bem improvável que consiga obter lucro com a mineração de Bitcoin.

No entanto, se os pré-requisitos e materiais necessários não são um problema, a configuração da sua operação de mineração é bem simples – qualquer ASIC vem com seu próprio software. A opção mais comum é a indicação de seus mineradores para uma pool de mineração, onde você trabalha em conjunto com outras pessoas para encontrar blocos válidos. Se tiverem sucesso, receberão parte da recompensa do bloco, proporcional à taxa de hash fornecida.

Você também pode optar pela mineração solo, onde trabalha sozinho. A probabilidade de gerar um bloco será bem menor, mas você receberá toda a recompensa caso consiga criar um bloco válido.


Quanto tempo leva para minerar uma Bitcoin?

É difícil dar uma única resposta para essa pergunta, pois existem muitas variáveis que devem ser consideradas. A rapidez com que você pode minerar uma moeda depende da quantidade de eletricidade e da taxa de hash disponível. Você também deve considerar os custos reais de operar um dispositivo de mineração.

Para ter uma ideia da receita gerada pela mineração de Bitcoin, é recomendável usar uma calculadora de mineração para estimar os custos.


Como posso contribuir para o código da Bitcoin?

O software Bitcoin Core é de código aberto, o que significa que qualquer pessoa pode contribuir. Você pode propor ou revisar novos recursos a serem adicionados às mais de 70.000 linhas de código. Você também pode relatar bugs ou traduzir e melhorar a documentação.

As alterações no software passam por um rigoroso processo de revisão. Afinal, um software que lida com um valor de centenas de bilhões de dólares, deve estar livre de quaisquer vulnerabilidades.

Se estiver interessado em contribuir com a Bitcoin, não deixe de conferir a postagem do blog do desenvolvedor Jimmy Song ou o site do Bitcoin Core.

Loading