O que são criptomoedas?

05.12.2018

Criptomoedas são ativos digitais com a função principal de funcionar como um meio de troca de valores dentro de um sistema econômico ponto a ponto (peer-to-peer) que usa criptografia para verificar e proteger transações e controlar a criação de unidades adicionais.

Diferentemente dos sistemas bancários centralizados, a maioria das criptomoedas são descentralizadas por uma rede distribuída de computadores espalhados pelo mundo, também conhecidos como nós (nodes em inglês).

Qualquer pessoa com acesso à Internet, mesmo com conexão ruim, pode trocar valores através dos continentes ao clique de um botão. Os custos das transações de criptomoedas são muito baixos em comparação as transferências bancárias intercontinentais e as transações são irreversíveis, ao contrário dos estornos permitidos por empresas de cartão de crédito.

A emissão e o gerenciamento das criptomoedas são determinados pela arquitetura de rede, que é baseada em algoritmos programados e provas criptográficas.

Esses podem ser entendidos como um conjunto predefinido de regras, também conhecido como protocolo, que define como o sistema da criptomoeda deve operar.

Ser descentralizado significa que as criptomoedas não podem ser controladas por uma única entidade e as transações devem ocorrer diretamente entre os usuários, sem depender de um intermediário. No entanto, muitas criptomoedas são geridas e desenvolvidas por empresas privadas e fundações, então existem vários graus de descentralização. Dependendo da estrutura da rede e da distribuição dos nós, algumas criptomoedas podem ser consideradas mais centralizadas do que outras.

O principal componente para a maioria das criptomoedas é a tecnologia chamada Blockchain. A Blockchain consiste em uma cadeia linear de vários blocos conectados que são protegidos criptograficamente.

Cada bloco contém, entre outras coisas, uma lista de transações recentes e uma referência ao bloco que veio imediatamente anterior ele.

A Blockchain é responsável por manter um registro permanente de todas as transações confirmadas, funcionando como um livro razão digital descentralizado (decentralized ledger em inglês). Esse livro razão é distribuído entre todos os nós da rede, tornando-o altamente resistente a modificações.

A primeira criptomoeda descentralizada, o Bitcoin, foi criado em 2009 pelo desenvolvedor com pseudônimo Satoshi Nakamoto. A ideia principal era criar um sistema de pagamento eletrônico independente e descentralizado baseado em provas matemáticas e criptografia.

Como a maioria das criptomoedas, o Bitcoin tem uma taxa de emissão limitada, o que significa que não serão gerados mais Bitcoins pelo sistema após o fornecimento máximo (max supply) ser atingido. Normalmente, o limite máximo de emissão é uma informação pública que é definida no momento em que a criptomoeda é criada.

Além do Bitcoin, hoje existem mais de mil criptomoedas diferentes, também chamadas de “altcoins” ou moedas alternativas. Cada uma com propriedades e casos de uso diferentes.

Para obter uma visão mais detalhada do mundo das criptomoedas e das tecnologias por trás delas, assista aos nossos outros vídeos na Binance Academy.

Loading