Uma Introdução à Teoria das Ondas de Elliott

Compartilhar
Copied to clipboard!
Uma Introdução à Teoria das Ondas de Elliott

Conteúdo


O que são as Ondas de Elliott?

As Ondas de Elliott se referem a uma teoria (ou princípio) que investidores e traders podem adotar para análise técnica. O princípio baseia-se na ideia de que os mercados financeiros tendem a seguir padrões específicos, independentemente do intervalo de tempo.

Essencialmente, a Teoria das Ondas de Elliott (EWT) sugere que os movimentos do mercado seguem uma sequência natural dos ciclos de psicologia da população. Os padrões são criados de acordo com o sentimento atual do mercado, que alterna entre bearish (tendência de baixa)bullish (tendência de alta).

O princípio de Ondas de Elliott foi criado na década de 1930 por Ralph Nelson Elliott – um contador e autor americano. No entanto, a teoria só ganhou popularidade nos anos 70, graças aos esforços de Robert R. Prechter e A.J. Frost.

Inicialmente, a EWT foi chamada de Princípio das Ondas, que é uma descrição do comportamento humano. A criação de Elliott foi baseada em seu vasto estudo de dados de mercado, com foco nos mercados de ações. Sua pesquisa sistemática incluiu pelo menos 75 anos de informações.

Como ferramenta de análise técnica, a EWT agora é usada na tentativa de identificar tendências e ciclos de mercado e pode ser aplicada em vários mercados financeiros. No entanto, a Teoria das Ondas de Elliott não é um indicador ou uma técnica de trading. Se trata de uma teoria que pode ajudar a prever o comportamento do mercado. Como Prechter afirma em seu livro: 

[...] o Princípio das Ondas não é essencialmente uma ferramenta de previsão; é uma descrição detalhada de como os mercados se comportam.

– Prechter, R. R. The Elliott Wave Principle (p.19).


Padrão básico da Onda de Elliott

Normalmente, o padrão básico das Ondas de Elliott é identificado por um padrão de oito ondas, sendo cinco Ondas de Impulso (que se movem a favor da tendência principal) e três Ondas Corretivas (que se movem na direção oposta).

Portanto, um ciclo completo das Ondas de Elliott em um mercado bullish seria assim:

uma introdução à teoria das ondas de elliott


Observe que, no primeiro exemplo, temos cinco Ondas de Impulso: três em movimento ascendente (1, 3 e 5) e duas em movimento descendente (A e C). Simplificando, qualquer movimento que esteja de acordo com a tendência principal pode ser considerado uma Onda de Impulso. Isso significa que 2, 4 e B são as três Ondas Corretivas.

Entretanto, de acordo com Elliott, os mercados financeiros criam padrões de natureza fractal. Portanto, se reduzirmos o zoom para considerar intervalos de tempo maiores, o movimento de 1 a 5 também pode ser considerado uma única Onda de Impulso (i), enquanto o movimento A-B-C pode representar uma única Onda Corretiva (ii).

uma introdução à teoria das ondas de elliott


Além disso, se aumentarmos o zoom para diminuir o intervalo de tempo, uma única Onda de Impulso (como a 3) pode ser dividida em cinco ondas menores, conforme ilustrado na próxima seção.

Por outro lado, um ciclo de Ondas de Elliott em um mercado bearish ficaria assim:

uma introdução à teoria das ondas de elliott



Ondas de Impulso

Conforme a definição de Prechter, as Ondas de Impulso sempre se movem na mesma direção da tendência principal.

Como acabamos de ver, Elliott descreveu dois tipos de desenvolvimento de ondas: de Impulso e Corretivas. O exemplo anterior envolveu cinco Ondas de Impulso e três de Correção. Mas, se ampliarmos para uma única Onda de Impulso, teremos uma estrutura menor de cinco ondas. Elliott a chamou de Padrão das Cinco Ondas e criou três regras para descrever sua formação:

  • A onda 2 não pode retraçar mais de 100% do movimento anterior da onda 1.

  • A onda 4 não pode retraçar mais de 100% do movimento anterior da onda 3.

  • Considerando as ondas 1, 3 e 5, a onda 3 não pode ser a mais curta, sendo que geralmente é a mais longa. Além disso, a onda 3 sempre ultrapassa o final da onda 1.


uma introdução à teoria das ondas de elliott


Ondas Corretivas

Diferentemente das Ondas de Impulso, as Ondas Corretivas são feitas de uma estrutura de três ondas. Geralmente a estrutura é formada por uma Onda Corretiva menor que ocorre entre duas Ondas de Impulso menores. Normalmente, as três ondas são denominadas A, B e C.

uma introdução à teoria das ondas de elliott


Quando comparadas às Ondas de Impulso, as Ondas Corretivas tendem a ser menores pois se movem contra a tendência principal. Em alguns casos, essa luta contra a tendência também pode dificultar a identificação das Ondas Corretivas, pois elas podem variar significativamente em comprimento e complexidade.

Segundo Prechter, a regra mais importante em relação às Ondas Corretivas é que elas nunca são feitas de cinco ondas.


As Ondas de Elliott funcionam?

Existe uma discussão em relação à eficiência das Ondas de Elliott. Alguns dizem que a taxa de sucesso da teoria de Elliott depende muito da capacidade dos traders de conseguir distinguir, de forma precisa, os movimentos do mercado em tendências e correções. 

Na prática, as ondas podem ser desenhadas de várias maneiras, sem necessariamente violar as regras de Elliot. Isso significa que desenhar as ondas corretamente está longe de ser uma tarefa simples. Não apenas porque requer prática, mas também devido ao alto nível de subjetividade envolvido.

Sendo assim, críticos argumentam que a Teoria das Ondas de Elliott não é uma teoria legítima devido à sua natureza altamente subjetiva e depende de um conjunto de regras que não foram bem definidas. Ainda assim, existem milhares de investidores e traders de sucesso que conseguiram aplicar os princípios de Elliott de maneira lucrativa.

Curiosamente, há um número crescente de traders combinando a teoria das Ondas de Elliott com indicadores técnicos para aumentar sua taxa de sucesso e reduzir riscos. Os indicadores Fibonacci Retracement e Fibonacci Extension são talvez os exemplos mais populares.


Considerações finais

De acordo com Prechter, Elliott nunca especulou sobre por que os mercados tendem a apresentar uma estrutura de ondas de 5 a 3. Em vez disso, ele simplesmente analisou os dados do mercado e chegou a essa conclusão. O princípio de Elliott é simplesmente o resultado de ciclos de mercado inevitáveis criados pela natureza humana e pela psicologia das grandes massas.

Como mencionado, no entanto, o princípio das Ondas de Elliott não é um indicador TA e sim uma teoria. Ou seja, é um princípio inerentemente subjetivo e não há uma maneira correta de usá-lo. A previsão precisa das movimentações do mercado usando a EWT requer prática e habilidade, pois os traders devem descobrir como determinar a contagem de ondas. Isso significa que seu uso pode ser arriscado – especialmente para iniciantes.

Loading