A psicologia dos ciclos de mercado

Compartilhar
Copied to clipboard!
A psicologia dos ciclos de mercado
Ouça este artigo
00:00 / 00:00

O que é psicologia de mercado?

Psicologia de mercado é a ideia de que os movimentos de um mercado refletem (ou são influenciados por) o estado emocional de seus usuários participantes. É um dos principais tópicos da economia comportamental - um campo interdisciplinar que investiga os vários fatores que precedem decisões econômicas.

Muitos acreditam que as emoções são a principal força motriz por trás das mudanças nos mercados financeiros. E que a variação geral de sentimentos dos investidores é o que cria os chamados ciclos psicológicos do mercado.

Resumidamente, o sentimento do mercado reflete, de forma geral, o que os investidores e traders sentem em relação à ação do preço de um ativo. Quando o sentimento do mercado é positivo e os preços estão subindo continuamente, existe uma tendência de alta (geralmente chamada de bull market). O oposto é chamado de bear market, quando há um declínio contínuo dos preços.

Portanto, esse conceito de sentimento do mercado é composto por opiniões e sentimentos individuais de todos os traders e investidores que fazem parte do mercado financeiro. Pode também ser visto como uma representação média do sentimento geral dos participantes do mercado. 

Porém, como em qualquer grupo, nenhuma opinião é unânime. Com base nas teorias da psicologia de mercado, o preço de um ativo tende a mudar constantemente em resposta ao sentimento geral do mercado - que também é dinâmico. Caso contrário, seria muito mais difícil realizar uma trade bem-sucedida. 

Na prática, quando o mercado apresenta uma alta, é provável que seja devido a uma confiança maior entre os traders. Um sentimento positivo de mercado faz com que a demanda aumente e a oferta diminua. O aumento da demanda pode gerar uma postura ainda mais forte dos traders. Da mesma forma, uma forte tendência de baixa geralmente cria um sentimento negativo que reduz a demanda e aumenta a oferta disponível.

 

Como as emoções mudam durante os ciclos de mercado?

Tendência de alta

Todos os mercados passam por ciclos de expansão e de contração. Quando um mercado está em fase de expansão (mercado em alta), existe um clima de otimismo, crença e ganância. Normalmente, essas são as principais emoções que levam a uma forte atividade de compra.

É bastante comum ver uma espécie de efeito cíclico ou retroativo durante os ciclos de mercado. Por exemplo, o sentimento do mercado fica mais positivo à medida que os preços sobem. Conforme os preços continuam subindo, o sentimento fica ainda mais positivo e impulsiona o mercado ainda mais.

Às vezes, um forte senso de ganância e crença domina o mercado de tal maneira que é possível que se forme uma bolha financeira. Nesse cenário, muitos investidores se tornam irracionais, perdendo a noção do valor real e comprando um ativo apenas por acreditarem que o mercado continuará subindo. 

Eles ficam gananciosos e empolgados pelo impulso do mercado, na esperança de obter lucros. Quando o preço aumenta demais, existe um ponto de pico. Geralmente, esse ponto é considerado o ponto de risco financeiro máximo.

Em alguns casos, o mercado terá um movimento lateral por um tempo enquanto os ativos são vendidos gradativamente. Isso também é conhecido como estágio de distribuição. No entanto, alguns ciclos não apresentam um estágio de distribuição claro e a tendência de baixa começa logo após o topo ter sido atingido.

Tendência de baixa

Quando o mercado começa a mudar de direção, a euforia pode rapidamente se transformar em complacência, pois muitos traders se recusam a acreditar que a tendência de alta acabou. À medida que os preços continuam a cair, o sentimento do mercado se move rapidamente para o lado negativo. Nesse momento, os traders geralmente apresentam sentimentos de ansiedade, negação e pânico.

Nesse contexto, podemos descrever a ansiedade como o momento em que os investidores começam a questionar por que o preço está caindo, o que logo leva ao estágio de negação. O período de negação é marcado por uma um sentimento de não aceitação. Muitos investidores insistem em manter suas posições perdedoras, seja porque "é tarde demais para vender" ou porque querem acreditar "que o mercado voltará em breve".

Porém, à medida que os preços caem ainda mais, a onda de vendas fica mais forte. Nesse momento, o medo e o pânico muitas vezes levam ao que é chamado de capitulação de mercado (quando os traders desistem e vendem seus ativos próximos do valor mais baixo).

Eventualmente, a tendência de baixa é interrompida à medida que a volatilidade diminui e o mercado se estabiliza. Normalmente, o mercado experimenta movimentos laterais antes que sentimentos de esperança e otimismo voltem a surgir. Esse período de movimentação lateral também é conhecido como estágio de acumulação.

 

Como os investidores usam a psicologia de mercado?

Supondo que a teoria da psicologia de mercado seja válida, entendê-la pode ajudar um profissional a entrar e sair de posições em momentos mais favoráveis. A atitude geral do mercado é contraprodutiva: o momento de maior oportunidade financeira (para um comprador) geralmente chega quando a maioria das pessoas não tem esperança e o mercado é muito baixo. Por outro lado, o momento de maior risco financeiro geralmente surge quando a maioria está eufórica e com excesso de confiança.

Dessa forma, alguns traders e investidores tentam fazer a leitura do sentimento de um mercado para identificar as diferentes etapas de seus ciclos psicológicos. Em um cenário ideal, eles usariam essas informações para comprar quando houver pânico (preços mais baixos) e vender quando houver ganância (preços mais altos). Na prática, porém, identificar esses pontos não é uma tarefa fácil. O que pode parecer o ponto de mínima (suporte), pode não se manter, levando a valores ainda mais baixos.

 

Análise técnica e psicologia de mercado

É fácil olhar para os ciclos do mercado e reconhecer como a psicologia geral mudou. A análise de dados anteriores mostra, de forma muito clara, quais ações e decisões teriam sido as mais rentáveis.

Entretanto, é muito mais difícil entender como o mercado está mudando à medida que ele avança - e ainda mais difícil de prever o que vem depois. Muitos investidores usam análise técnica (TA) para tentar antecipar os prováveis movimentos futuros do mercado.

De certa forma, podemos dizer que os indicadores de TA são ferramentas que podem ser usadas para tentar medir o estado psicológico do mercado. Por exemplo, o indicador Relative Strength Index (RSI) pode sugerir quando um ativo é comprado em excesso devido a um forte sentimento positivo do mercado (por exemplo, ganância excessiva).

O MACD é outro exemplo de indicador que pode ser usado para identificar os diferentes estágios psicológicos de um ciclo de mercado. Resumidamente, a relação entre suas linhas pode indicar quando o momento do mercado está mudando (por exemplo, a tendência de compra está ficando mais fraca).

 

Bitcoin e a psicologia de mercado

O bull market da Bitcoin de 2017 é um exemplo claro de como a psicologia do mercado afeta os preços e vice-versa. De janeiro a dezembro, a Bitcoin subiu de aproximadamente US$900 para sua máxima histórica de US$20.000. Durante a alta, o sentimento do mercado tornou-se cada vez mais positivo. Surgiram milhares de novos investidores, tomados pela emoção do mercado em alta. FOMO, otimismo excessivo e ganância rapidamente elevaram os preços – até o início da queda.

A reversão da tendência começou a ocorrer no final de 2017 e no início de 2018. A correção deixou muitos dos que ingressaram tarde com perdas significativas. Mesmo quando a tendência de baixa já estava estabelecida, falsa confiança e complacência fizeram com que muitas pessoas insistissem em fazer HODLing (manter os investimentos). 

Alguns meses depois, o sentimento do mercado ficou muito negativo, pois a confiança dos investidores atingiu o nível mais baixo de todos os tempos. FUD e pânico fizeram com que muitos dos usuários que compravam perto do topo vendessem perto da mínima, gerando perdas significativas. Algumas pessoas ficaram desiludidas com a Bitcoin, embora a tecnologia fosse essencialmente a mesma. Na verdade, sua tecnologia está sendo constantemente aprimorada.

 

Vieses cognitivos

Os vieses cognitivos são padrões de pensamento comuns que geralmente levam os seres humanos a tomar decisões irracionais. Esses padrões podem afetar traders individuais e o mercado como um todo. Alguns exemplos comuns são:

  • Viés de confirmação: a tendência de supervalorizar informações que confirmam nossas próprias crenças, ignorando ou descartando informações que são contrárias a elas. Por exemplo, investidores de um mercado em alta podem concentrar-se mais em notícias positivas, ignorando más notícias ou sinais de que a tendência do mercado está prestes a mudar.

  • Aversão à perda: tendência comum dos humanos de temer mais as perdas do que comemorar os ganhos, mesmo que o ganho seja semelhante ou superior. Em outras palavras, a dor de uma perda é geralmente mais intensa do que a alegria de um ganho. Isso pode fazer com que os traders percam boas oportunidades ou vendam por impulsão causada pelo pânico durante períodos de capitulação de mercado.

  • Efeito de dotação: tendência das pessoas supervalorizarem as coisas que possuem, simplesmente porque são donas delas. Por exemplo, um investidor que possui uma bolsa de criptomoedas tem mais probabilidade de acreditar no valor delas do que uma pessoa que não tenha criptomoedas.

 

Considerações finais

A maioria dos traders e investidores concorda que a psicologia afeta os preços e ciclos do mercado. Embora os ciclos psicológicos do mercado sejam bem conhecidos, eles nem sempre são fáceis de lidar. Desde a Tulip Mania holandesa, nos anos 1600, até a bolha dotcom dos anos 90, mesmo traders qualificados tiveram dificuldades para separar suas atitudes do sentimento geral do mercado. Os investidores enfrentam a difícil tarefa de entender não apenas a psicologia do mercado, mas também sua própria psicologia e como isso afeta seu processo de tomada de decisão.

Loading