O que é uma ICO (Initial Coin Offering)?

Compartilhar
Copied to clipboard!
O que é uma ICO (Initial Coin Offering)?
Ouça este artigo
00:00 / 00:00

Initial Coin Offering (ICO) é um método de arrecadação de fundos por meio de criptomoedas. Seu uso é mais popular em projetos que ainda não desenvolveram completamente sua plataforma, produto ou serviço em Blockchain. O pagamento geralmente é feito com Bitcoin ou Ethereum, mas em alguns casos, pagamentos em dinheiro (moeda fiduciária)  também são aceitos.

Os investidores participam em ICOs com a esperança e a expectativa de que a empresa seja bem-sucedida, impulsionando a demanda e fazendo com que os tokens ofertados aumentem de valor posteriormente. Em outras palavras, eles esperam obter um bom retorno sobre o investimento (ROI) visto que estão apoiando aquele projeto específico de uma criptomoeda em estágio inicial.


Como Funciona uma ICO?

As ICOs são frequentemente comparadas às IPOs (Initial Public Offering ou Oferta Pública Inicial). No entanto, esta comparação pode ser enganosa. As IPOs geralmente se aplicam a organizações bem estabelecidas que vendem ações de suas empresas como forma de arrecadar fundos. Em contraste, as ICOs são usadas principalmente como um mecanismo de captação de recursos que permite às empresas levantarem fundos para seus projetos em estágios iniciais, e nesse caso, os investidores que compram seus tokens não estão adquirindo nenhuma ação ou participação na empresa.

Normalmente, os tokens de uma ICO são criados na Blockchain da Ethereum, seguindo o padrão ERC-20, e são, portanto, chamados de tokens ERC-20. Juntamente com a Ethereum, existem outras plataformas que suportam a criação e emissão de tokens digitais (por exemplo, Stellar, NEM, NEO e Waves). Por outro lado, algumas empresas que já possuem uma Blockchain em pleno funcionamento optam por emitir seus ativos digitais em sua própria plataforma.

Usando os tokens ERC-20 como exemplo, uma empresa pode fazer uso dos smart contracts (contratos inteligentes) da Ethereum para criar e emitir seu próprio token digital. O protocolo ERC-20 define um conjunto de regras que a empresa deve seguir para emitir um token na Blockchain da Ethereum, e os smart contracts garantem que essas regras sejam seguidas.

Uma vez que os fundadores de startups têm seus tokens criados, eles precisam convencer os investidores a apoiar o projeto participando de sua ICO. Geralmente, esse objetivo é alcançado com o desenvolvimento de um White Paper (documento de apresentação) descrevendo as metas da empresa e como o novo ecossistema deve funcionar. Os fundadores também podem unir este White Paper a um site que fornece mais informações sobre as pessoas envolvidas na ICO e por que eles acreditam que aquele projeto de criptomoeda será bem-sucedido.


Por que as Empresas Fazem ICOs?

Um ICO pode ser um método muito eficaz de levantar capital de risco e financiamento de projetos. No caso das startups, permitem que elas obtenham uma moeda utilizável com base em uma ideia, que pode ou não ter sido testada no mercado. É improvável que essas pequenas empresas pouco estabelecidas consigam obter financiamento de outra maneira. É pouco provável, também, que as instituições financeiras tradicionais façam empréstimos à startup usando um simples whitepaper como base, especialmente no espaço das criptomoedas em que a falta de regulamentação causa relutância por parte dessas instituições.

Enquanto novas organizações e startups representam a maior parte das ICOs, as coisas estão mudando. Algumas empresas antigas e estabelecidas estão reconhecendo o valor das ICOs e o poder da descentralização oferecido pelas criptomoedas. Várias delas estão fazendo ICOs para lançar novos projetos baseados em sistemas Blockchain, como forma de levantar capital ou descentralizar seus negócios. Essa prática é conhecida como "ICO reversa".


Qualquer Pessoa Pode Lançar uma ICO?

A resposta curta é que sim. Com a orientação correta, quase qualquer pessoa consegue desenvolver um token e escrever um whitepaper que descreve sua eventual aplicação. Mas a empresa ou os indivíduos que o fazem precisam criar um empreendimento viável baseado em Blockchain. Isso requer conhecimento, habilidade e experiência que nem todos possuem. Também é necessário cair de cabeça no emaranhado de questões regulatórias que variam de uma jurisdição para outra e podem mudar em resposta à crescente popularidade das ICOs.

Para fazer um ICO bem-sucedido, o empreendimento deve ser sólido e respaldado por evidências concretas de como o projeto ou a ideia funcionará, por que é valioso, o que faz, quem precisa e como pode ser desenvolvido. Vender a ideia e convencer os investidores a comprar é outro passo crítico em direção a resultados positivos.


A Regulação das ICOs

O crescente número de crowdfundings (financiamentos coletivos) por meio das ICOs atraiu a atenção de órgãos reguladores no mundo todo, e regulamentação é um tema aquecido na comunidade das criptomoedas. Nos EUA, a SEC (Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio dos EUA) e a CFTC (Comissão de Negociação de Contratos Futuros de Commodities) são duas instituições reguladoras que estão continuamente discutindo a estrutura regulatória para ICOs e criptomoedas.

A regulamentação do setor de ICOs ainda está nos estágios iniciais e não há uniformidade entre os diferentes países. Por um lado, regulamentações muito rígidas podem dificultar o crescimento e desenvolvimento do setor emergente das criptomoedas e tecnologias Blockchain. Por outro, alguns argumentam que a regulamentação provavelmente trará maior legitimidade ao espaço, aliviando o medo das instituições financeiras tradicionais que até agora têm evitado uma exploração aprofundada na área. De forma consensual, uma abordagem equilibrada é elogiada por muitos que acreditam que o ecossistema das criptomoedas não deve ser um espaço financeiro do “velho oeste”, mas livre o suficiente para funcionar fora dos limites do sistema tradicional.

Enquanto algumas jurisdições - como China e Coréia do Sul - declararam todas as ICOs ilegais, a SEC dos EUA emitiu um boletim detalhado sobre ICOs, alertando que os potenciais investidores devem realizar a devida diligência antes de se envolver em novos investimentos. A SEC também disse que algumas ICOs podem se qualificar como títulos, e em casos positivos, estão sujeitas às regulamentações federais de valores mobiliários.


Por que isso é importante?

ICOs usam criptomoedas como principal instrumento de financiamento e, como tal, oferecem um caminho para negócios inovadores e indivíduos que querem fazer as coisas de maneira diferente. Cada vez mais atenção é atraída para as criptomoedas quando novas startups baseadas em redes Blockchain arrecadam quantidades crescentes de capital. No entanto, a rota das ICOs pode apresentar resultados favoráveis e desfavoráveis. Embora golpes em ICOs e enormes fracassos tenham um impacto negativo na reputação do espaço, empreendimentos bem-sucedidos impulsionam a autenticidade das criptomoedas aos olhos do público.

Os tokens de ICOs que veem ampla adoção e confiabilidade podem aliviar algumas das incertezas que instituições e consumidores têm sobre entrar no espaço criptográfico. Embora esse novo método de investimento ainda esteja resolvendo seus problemas, ele é considerado por muitos como uma alternativa viável às rotas tradicionais de arrecadação e pode se tornar uma abordagem atraente para as empresas daqui para frente.

Loading